sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Quando temos de tomar decisões

Paulo e Barnabé designaram-lhes presbíteros em cada igreja; tendo orado e jejuado, eles os encomendaram ao Senhor, em quem haviam confiado. (Atos 14.23)

Sempre que Deus comunicava algo importante a seu povo, ou sempre que uma decisão importante tinha de ser tomada, antes havia oração, em geral acompanhada de jejum.

Quando os apóstolos tiveram de escolher um substituto para Judas, estavam reunidos em oração (1.14). Quando os cristãos da igreja de Jerusalém começaram a enfrentar severa perseguição, oraram por coragem, levantando “juntos a voz a Deus” (4.24). Ao se tornar claro para os cristãos convertidos do judaísmo que até os samaritanos podiam ser salvos, enviaram Pedro para orar por esses novos seguidores de Jesus (8.15). Quando Pedro foi preso, a igreja reuniu-se para orar por ele (12.12). Deus separou Paulo e Barnabé enquanto a igreja em Antioquia adorava e jejuava (13.2).

Não é de surpreender, portanto, que Paulo e Barnabé só auxiliassem na organização da liderança das igrejas que fundaram depois de orar e jejuar (14.23). Não podiam permanecer em cada igreja; tinham de seguir adiante. Para que a igreja continuasse a prosperar, eram necessários líderes solidamente cheios do Espírito. Assim, Paulo e Barnabé buscaram o Senhor e esperaram por sua orientação. O resultado foi o crescimento das igrejas, mesmo após a partida de Paulo e Barnabé.
Sempre que tiver de tomar decisões importantes e enfrentar questões difíceis, ore. Estaremos confiando em Deus, e apenas nele, para nos alimentar e saciar a fome com seu Espírito. Essa prática é especialmente poderosa se a seguirmos com outros cristãos, em unidade.

ORAÇÃO

Senhor Deus, sei que minhas orações ganham novo poder quando jejuo e oro. Ajuda-me a fazer isso sempre que tiver de tomar uma decisão importante. Faz-me pronta para lidar com as grandes oportunidades que estão adiante de mim.
Devocional: Bom Dia! Leituras diárias com Stormie Omartianwww.mundocristao.com.br

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Mudando o mundo com orações

 

Enquanto adoravam o Senhor e jejuavam, disse o Espírito Santo: “Separem-me Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado”. (Atos 13.2)

Durante uma reunião de oração da igreja primitiva, o Senhor estabeleceu um plano que mudou o mundo (At 13.1-3). Os membros daquela congregação reconheceram que a mudança envolveria duas coisas: sua resposta ao Espírito Santo, que os levara a orar e jejuar, e a decisão de enviarem Barnabé e Saulo em missão.

É fato que a história mudou com base nessa reunião de oração. Qualquer análise histórica mostra que os eventos que moldaram o mundo como o conhecemos hoje, em especial a civilização ocidental, podem ser ligados diretamente a esse encontro de oração.

As pessoas que oram e têm consciência de sua nova identidade em Cristo definem o rumo da história em seu mundo. A maior parte da igreja cristã de hoje pensa na fé em Jesus Cristo como fuga. Deus, porém, reafirma seu desejo de que sejamos instrumentos da redenção por meio da oração intercessória, e o ministério fluirá através dela.
Daí a importância dos períodos de oração com outros cristãos. Por isso, é impossível crescer e desenvolver plenamente nosso potencial sozinhos. A edificação de um povo para realizar a obra de Deus ocorre na igreja local, quando estamos ligadas e crescendo com o restante do Corpo de Cristo. É nesse contexto que descobrimos a finalidade de nossa criação.
Uma das coisas mais importantes sobre estar em uma família espiritual é descobrir o poder da oração por meio da unidade. Cristãos orando juntos podem mudar o mundo.

ORAÇÃO

Senhor, sei que meu chamado é revelado em oração. Ajuda-me a estar no grupo de crentes no qual me queres de modo que possa orar com outros e que possa ser refinada pelo teu Espírito.
Devocional: Bom Dia! Leituras diárias com Stormie Omartianwww.mundocristao.com.br

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Crer sem ver

 

Então Jesus lhe disse: “Porque me viu, você creu? Felizes os que não viram e creram”. (João 20.29)

Todas conhecemos pessoas como Tomé. Pessoas difíceis de ser convencidas, que duvidam com frequência e normalmente são negativas. Pessoas que não acreditam no que não podem ver. É provável que todas nós tenhamos sido assim algum dia.
Mesmo depois que os demais discípulos creram na ressurreição por terem visto Jesus pessoalmente, Tomé insistia na descrença. Não acreditou até que Jesus apareceu no lugar em que todos estavam reunidos atrás de uma porta fechada. Poderíamos pensar que isso fosse evidência suficiente. Mas Tomé precisou tocar as mãos de Jesus traspassadas pelos pregos e seu lado, onde a lança o ferira. Jesus disse a Tomé que ele cria por ter visto, mas os que criam sem ter visto seriam abençoados.

Quem acreditar que Jesus morreu por nós e ressuscitou dentre os mortos está entre os bem-aventurados. Deus quer, porém, abençoar-nos de muitas maneiras que requerem fé. Fé em sua Palavra. Fé em suas promessas. Fé em seu amor, seu poder e sua bondade. Ele quer que creiamos em coisas que ainda não podemos ver. Tomé precisou de ajuda para crer. Muitas vezes nós também precisamos. Como aquele pai que levou o filho a Jesus para ser curado, podemos clamar a Deus: “Creio, ajuda-me a vencer a minha incredulidade!” (Mc 9.24).

Em tempos de dúvida, devemos ser sinceras com Deus. Não queremos ser pessoas que não creem até que tenham visto. Quando se trata de oração, a verdade é que não veremos até que tenhamos fé.

ORAÇÃO

Senhor, sei que tu queres me abençoar de maneiras incontáveis que exigem que eu creia sem ver. Ajuda-me a ter fé na tua Palavra e nas tuas promessas, bem como no teu amor, na tua bondade e no teu poder. Ajuda-me a confiar que tu estás respondendo minhas orações, mesmo quando não puder ver a resposta.

Devocional: Bom Dia! Leituras diárias com Stormie Omartian
www.mundocristao.com.br

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Prepare-se para ser uma verdadeira adoradora

 

Leia João 4.21-24 e reflita.


“Deus é espírito, e é necessário que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.” (João 4.24)
Podemos dizer que conhecemos e amamos a Deus, mas, se não estivermos adorando-o e louvando-o todos os dias, não sabemos, de fato, quem ele é (Rm 1.21). Não queremos ficar vagando no escuro dedicando nossa mente a coisas vãs, tudo porque não somos verdadeiras adoradoras de nosso Deus maravilhoso.
 
Nada do que fazemos é mais poderoso e transformador do que adorar e louvar a Deus. Toda vez que o louvamos e adoramos, sua presença vem habitar em nós, muda nosso coração e permite que o Espírito Santo o acalme e o molde de acordo com sua vontade para nós.
Pelo fato de o louvor e a adoração não serem algo que nossa carne deseja fazer naturalmente, precisamos nos determinar a fazê-lo. E, pelo fato de não ser a primeira coisa que nos ocorre, precisamos decidir louvar e adorar, sejam quais forem as circunstâncias. Precisamos dizer: “Eu vou adorar e louvar o Senhor”. É claro que quanto mais conhecemos a Deus, mais fácil torna-se adorá-lo e louvá-lo. Quando chegamos a ponto de não podermos deixar de adorá-lo e louvá-lo, então nos tornamos verdadeiras adoradoras.
Entregue-se completamente à adoração e ao louvor. Enquanto você tiver fôlego, pode regozijar-se sempre, orar sem cessar, em tudo dar graças, porque essa é a vontade de Deus em Cristo Jesus para você (1Ts 5.16-18).

ORAÇÃO

Senhor, não há maior fonte de alegria para mim do que te adorar. Venho a tua presença com ações de graça e inclino-me diante de ti. Exalto teu nome, pois tu és grande e digno de ser louvado. Perdoa-me quando deixo de louvar-te e adorar-te como tu mereces e desejas. Ensina-me a adorar-te de todo o meu coração e da maneira como tu queres. Faz-me uma verdadeira adoradora. Que o louvor e a adoração sejam minha primeira reação em todas as circunstâncias. Eu te adoro na beleza da tua santidade e dou a glória devida ao teu nome.

Devocional: Bom Dia! Leituras diárias com Stormie Omartian
www.mundocristao.com.br